segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Alfred Tennyson

Home they brought her warrior dead
[Alfred Tennyson]

Home they brought her warrior dead:
She nor swoon’d, nor utter’d cry:
All her maidens, watching, said,
“She must weep or she’ will die.”

Then they praised him, soft and low,
Call’d him worthy to be loved,
Truest friend and noblest foe;
Yet she neither spoke nor moved.

Stole a maiden from her place,
Lightly to the warrior stept,
Took the face-cloth from the face;
Yet she neither moved nor swept.

Rose a nurse of ninety years,
Set his child upon her knee
Like summer tempest came her tears –
“Sweet my child, live for thee.”


* * *

Devolveram-lhe seu guerreiro morto:
[traduzido por Adriano Lobão Aragão]

Devolveram-lhe seu guerreiro morto:
Ela, porém, não desmaia nem chora:
E todas as damas velam em coro,
“Precisa chorar ou estará morta.”

Depois teciam discreto elogio,
Dizendo-lhe digno de ser amado,
Amigo sincero, nobre inimigo;
Mas dela, gesto ausente, silente o lábio.

Deixa, então, uma donzela seu posto,
E do guerreiro inerte, levemente,
Retira o fúnebre véu de seu rosto;
Mas dela, silente o lábio, o pranto ausente.

Rose, uma criada de longeva idade,
Sobre os joelhos seu filho descansa –
Vêm lágrimas em árdua tempestade
“Viverei para ti, minha doce criança.”

Nenhum comentário: