segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Manuel Bandeira & Paulinho Moska



A onda
[Manuel Bandeira]

a onda anda
aonde anda
a onda?
a onda ainda
ainda onda
ainda anda
aonde?
aonde?
a onda a onda

[Estrela da tarde, 1963]


- * * * -




Onde anda a onda
[Paulinho Moska]

Pra onde essa onda vai?
De onde essa onda vem?
Eu não sei o que ela me traz
Mas o meu desejo é que me leve também

Há ondas que nascem no horizonte
Logo ali defronte de quem olha pro mar
Há ondas que vêm do alto-falante
Um prato cheio de ruídos pro ouvido mastigar

Aquela onda se perdeu no infinito
Que jeito bonito que ela tem de se expressar!
Toda onda tem aquilo que acredito
Mundo invisível que dá pra experimentar
Toda onda é um espírito esquisito
Quase impossível não se deixar levar

Pra onde essa onda vai?
De onde essa onda vem?
Eu não sei o que ela me traz
Mas o meu desejo é que me leve também

A minha vida se propaga lentamente
Lente de aumento em cada micro-olhar
Todo átomo que se movimente
Necessita que uma onda o convide pra dançar

Por isso quando eu não estiver mais na tua frente
Quando eu não for mais gente e não puder mais te falar
Mesmo que a onda não seja mais redonda
Mesmo que ela pare de ondular
Mesmo que então pareça que eu me esconda
Onde quer que ande a onda estarei também por lá.

Pra onde essa onda vai?
De onde essa onda vem?
Eu não sei o que ela me traz
Mas o meu desejo é que me leve também

[cd Móbile, 1999]

Nenhum comentário: