quinta-feira, 9 de julho de 2009

Breve antologia de Wanderson Lima





Wanderson Lima nasceu em Valença do Piauí em outubro de 1975. Poeta e professor. Publicou "Escola de Ícaro – O Exercício Necessário da Queda", "Morfologia da Noite", "Balé de Pedras" (poemas) e "Reencantamento do Mundo - notas sobre cinema" (ensaios, com Alfredo Werney).
Edita os blogs kairos e chronos e o site desenredos.



INVOCAÇÃO

ò manhã-museu,
tempo de tantas fezes,
quantas vezes
anseio ser muro –

e murmuro!



[in Balé de Pedras, 2005]

_____________



tigre nu, rei devorado –
rimas e ruínas a reinar
no mar da linguagem.

tigre nu, rei devorado –
campânulas plantadas
na luz do nome.

tigre nu, rei devorado –
chicote sujo de arenga
limpo com chuva de lâminas.

tigre nu, rei devorado –
o medo se fará nuvem,
o verbo se fará carne.



[in Balé de Pedras, 2005]

_____________


BORGES SALVOU-ME A PELE

O volume I
das Obras Completas
de Jorge Luís Borges
salvou-me a pele.

Foi assim:
na vereda que se bifurca,
o cachorro, encarniçado,
vinha em fúria
e queria a minha perna.
Arrancar a minha perna.

Não havia ao chão
pau, pedra ou cacete.
Nada no chão havia.

Atirei, então,
o grosso volume
na fuça do bicho.
Bem na fuça
do cérbero.

O desgraçado de dor gemia.
E enquanto gemia
de novo apanhei
o grosso volume
e por três vezes
amassei-lhe a fuça
e por três vezes
grunhiu o bicho.

Quando se calou
e ficou gemendo só
colhi o livro
de sangue sujo
e segui –
a vera estrada segui.

Borges agora sujo estava de vida.
E eu descobri
as múltiplas funções
das belas letras.



[in Película, inédito]

_____________



ANDRE BRETON PRECISOU DE ASPIRINA


Ele, o que semeou
Iluminações profanas –
Ele, o que felou
na teta do primo verbo –

Ele
– o filho de um guarda-chuva
e uma máquina de costura –
precisou de aspirina.

ANDRE BRETON PRECISOU DE ASPIRINA.

Não houve xamã
Nem totem asteca
Nem chá da Amazônia –

Praquela dorzinha
tomou aspirina
aquele que soltou
os galgos do Dr.
Sigmund Freud.


[in Película, inédito]



/

Nenhum comentário: