terça-feira, 5 de maio de 2009

Sobre as enchentes que sucedem ao ardor dos meses de estio

[renato zagrel]


Ante a chuva que se espera
sob o ardor do meio-dia,
que uma sombra se revela
qual sonho desfeito em terra,
qual terra desfeita em sina.
Em chuva que o inverno traz
um destino se refaz
entre janeiro e dezembro,
só se tem água de menos
ou se tem água demais.


abril 2008

Nenhum comentário: