terça-feira, 2 de dezembro de 2008

amálgama #5 - Êxodo

- Publicado originalmente em amálgama #5, agosto de 2004.



ÊXODO
[Delmo Montenegro]


nos túneis de horror materno

nós caminhamos

.....por ordem da rainha de Bethsabath

.......nós caminhamos

..............pelos túneis ancestrais de nossa narrativa edipiana

pés amarrados

.....mãos cruzadas

................tateando pelo escuro pelas fossas

pelo sol pútrido das fezes

...............caduceu das moscas

........avançamos

.......................................pelo Horror disforme

......................em nossas máscaras

...........em busca de Alethéia — A Verdade

......................Alethéia — A Deusa adversa

de nossos círculos católicos


..........por ti caminhamos como suplicantes

na noite batismal do exílio

.................................suportando o insuportável as substâncias fecais
as pústulas

..................os verbos do ânus

..............todas as imputações de nossos crimes homoeróticos

todas as degenerações

.........................dos círculos do Inferno

......................................aqui estamos suplicantes

...............na chegada dos trens suásticos à
Charleville

cantamos todos


.....a messe negra portuguesa

......................as sangrias do arrebol

...........................o teatro elétrico dos mortos

.........................atravessando os túneis dos
esquartejadores

...........os museus da História Natural do Medo

cantamos todos


...............purgando aqui

...............................a nossa fala cadavérica e os estatutos da derrisão

......................purgando aqui

..............os sóis acrósticos do vício

............................................os manifestos

......... vestindo a farda expressionista dos
judeus do degredo

.................cantamos todos


a ciência da nossa morte


______________________________
Delmo Montenegro nasceu em Recife (PE) em 1974.
Poeta, tradutor, ensaísta, artista plástico,
lançou recentemente pelas Edições Bagaço
seu livro de estréia, Les Joueurs de Cartes – Os Jogadores de Cartas.

Nenhum comentário: