sexta-feira, 31 de outubro de 2008

“Os poetas são fingidores, você nem imagina”



“Os poetas são fingidores, você nem imagina”
7.ª pergunta para EMERSON ARAÚJO


Colégio São Francisco de Sales – DIOCESANO
Prof. Adriano Lobão Aragão
7.ª série

alunos:
Germana
Lucas Alves
Maria Jaíres
Mateus
Rafaela


Emerson Araújo, professor, bacharel em direito, especialista em educação profissional, escritor. Nasceu em Tuntum, Maranhão, mas é no Piauí que se sente feliz há mais de quarenta anos. Já escreveu: Vendedor de Picolé, Topada, Companheiros de Estrada, As Pedras da Aurora, 16 Movimentos Acima da Escuridão. Participou das antologias Baião de Todos e Estas Flores de Lascivo Arabesco. Fez parte da geração Pós-69, no contexto da literatura brasileira de expressão piauiense.


Qual a importância do incentivo à educação?
Olha, eu me fiz educador a vida toda, portanto todo incentivo a ela deve ter sempre um norte, ou seja, formar integralmente as pessoas para o exercício da cidadania, da vida sem opressores e oprimidos.

Para que serve um blog? Como você usa o seu?
Esta ferramenta de comunicação da grande rede tem me possibilitado a oportunidade de divulgar aquilo que eu escrevo e gosto de ler. É assim que eu uso o meu blog, [emersonaraujo46.blogspot.com], para me dizer no mundo.

O que você acha desta frase de M. de Moura Filho, postada no blog pessoal dele: “Se o meu blog parecer a alguém intolerável, pela forma que o conduzo, esqueça-o simplesmente; melhor do que perder tempo, porque a linha editorial no meu blog sou eu quem faço, e somente eu”?
Parece uma frase pedante, né? Mas não é. Quando o M. de Moura Filho coloca isso no blog dele,eu entendo que a criação de um autor, a princípio, é bastante egoísta. Mas não se preocupe com isso, pois todo artista é um fingidor em tudo.

De onde você busca inspiração para escrever?
Vou falar uma coisa. Eu sempre desconfiei desta coisa chamada inspiração, sabia? Mas vou te dizer o que disse para uma mestranda da UFPI um dia desses: eu escrevo para cobrir a lacuna da timidez. Aquilo que não consigo articular através da fala, eu escrevo. Escrever pra mim tem função terapêutica mesmo.

Como você define a sua produção poética?
Desculpe, mas não defino nada. A pior pessoa para se definir é o próprio escritor e, principalmente, o poeta. Os poetas são fingidores, você nem imagina. Portanto, aprenda a desconfiar dos poetas. Dos artistas de uma maneira geral.

Dos livros que escreveu você tem algum em especial?
Pretendo ainda escrever o especial. Todos que eu escrevi representam etapas do meu construir literário. Portanto, todos foram especiais e serão sempre.

Qual a importância da poesia no mundo contemporâneo?
O mundo sempre precisará da poesia. Ela é a mãe da arte literária. Então a importância dela se iguala ao pão da manhã e ao ar de todos os momentos. Poesia sempre!

Nenhum comentário: