quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Clarividência

[Mario Quintana]






O poema é uma bola de cristal. Se apenas enxergares nele o teu nariz, não culpes o mágico.






[in A Vaca e o Hipogrifo]

Nenhum comentário: