domingo, 27 de julho de 2008

amálgama #1



Em janeiro de 2002 iniciamos a publicação de amálgama contando com pouca coisa além da cara e a coragem. Na época, tínhamos como editores: Adriano Lobão Aragão, Hermes Coelho, Jeferson Probo, Sérgio Batista e Washington Ramos.

Nas postagens subseqüentes, reproduziremos o conteúdo publicado em nossa primeira edição.

amálgama. s. f. e m. (lat. mediev. dos alquim., amalgama, do ar. ‘amal al-dja-ma’a, fusão, união carnal.) 1. Mistura de elementos heterogêneos: um estranho amálgama de gente. 2. Designação genérica de ligas metálicas de mercúrio com outro metal; mineral constituído por mercúrio e prata em misturas isomorfas. 3. Fig Mistura de coisas diversas; reunião de pessoas de diferentes classes e qualidades. Confusão. 4. Coexistência de dois significados no enunciado, cujos significantes são combinados de tal maneira que seu produto não é analisável em segmentos sucessivos. || Amálgama formal: no francês au/aux (o); inglês man/men; português a + a = à. || Amálgama semântico: olho-de-mocho, nome de uma planta que nada tem de comum com um olho ou com um mocho, ou o francês oeil-de-boeuf, nada a ver com olho ou boi. 5. Revista mensal preparada em Teresina por diferentes visões, vivências e literariedades. Designação genérica da produção crítica e literária divulgada pela revista. Os editores desta revista. 6. Não apenas os poemas, mas a poesia. 7. O ideal de que a arte existe para melhorar a qualidade de vida das pessoas. A certeza de que escrever é necessário. Necessário quando inevitável, como uma necessidade orgânica inevitável, como comer, dormir e viver. Ou desejar. 8. O desejo pela mistura de todas as linguagens. A linguagem da linguagem. A possibilidade de amalgamar sempre. 9. Todas as palavras. 10.

amalgamar. v. t. 1. Fazer amálgama de (mercúrio com outro metal, poesia com outros poemas). 2. Reunir, confundir, combinar, misturar (coisas diversas). 3. Editar, publicar estas palavras. 4. Colaborar com todas as outras palavras. 5.

Nenhum comentário: